Eu posso lhe atender nos seguintes locais:

Consultório

Rua Fabia, 759 - Vila Romana

Siga nas Redes Sociais a Isabelle Zanoni

Facebook Isabelle Zanoni
Instagram Dra. Isabelle Zanoni

Todos os direitos reservados.

Alimentos e libido

12/06/2017

Hoje é dia dos namorados e infelizmente não consegui preparar nenhum texto de autoria própria, então cacei esse na internet pois achei bem completo e coerente. Divirtam-se e aproveitem!!

 

A palavra libido é de origem latina e significa desejo ou anseio,  caracterizada como uma energia aproveitável para os instintos de vida. E comer faz também parte de um dos instintos de viver. Colocando de parte o aspecto de sobrevivência do ser humano, o comer, pode a trás prazer a algumas pessoas, e ao longo dos tempos alguns tem sido os alimentos que lhes foi atribuída uma capacidade afrodisíaca.

 

Quando se fala em aumentar a libido, vêm logo a ideia alimentos como amendoim, chocolate, ostras, espargos, vinho, pimenta… realmente, alimentos que têm algum possível poder de potencializar o desejo e desempenho sexual. Apenas explicável pela razão de estes alimentos terem uma capacidade de melhorar o fluxo sanguíneo e fazer com que o cérebro liberte hormonas que também têm função sexual, tais como a serotonina e a noradrenalina. 

 

A maneira como nos alimentamos interfere, sem dúvida, de maneira direta sobre o funcionamento do corpo, e, portanto também sobre a função sexual. Assim pode-se concluir que existe relação entre a alimentação e um bom desempenho sexual.

 

No entanto, o facto de comermos determinados tipos de alimentos não nos vai transformar em super-homens ou em super-mulheres do sexo. É necessário, sim,  ter uma alimentação saudável e equilibrada como a de qualquer outra. Não adianta comer um dia inteiro de chocolate, ostras ou amendoim, julgando que poderá ter uma noite de não haver amanha.

 

Os alimentos que melhoram a libido só funcionam quando fazem parte da rotina alimentar da pessoa. Eles agem em médio e longo prazo e não em apenas algumas horas.

 
Afrodisíacos ao longo da história

 

 

Os afrodisíacos são conhecidos por toda a civilização, especialmente na Índia, onde são mencionados no livro do “Kama Sutra”. Nas paginas deste indicam-se diferentes maneiras para o homem aumentar o seu vigor sexual com alguns alimentos, tais como, o mel e o leite.

 

Na medicina tradicional chinesa também se usam remédios afrodisíacos a base de ervas, tais como ginseng, em que se acredita promover a longevidade e o vigor sexual. Para os árabes, estes optam mais por perfumes, fragrâncias e cosméticos para aumentar o prazer na cama. Quanto aos povos germânicos, usar plantas como cenouras e aspargos, servem para melhorar o desempenho sexual.

 

Na ciência moderna são apenas reconhecidas algumas substâncias afrodisíacas e nem todos do reino vegetal. Uma delas é a cantáridas, ou mosca espanhola.  O seu nome científico é Lytta vesicatória. Não é propriamente uma mosca, mas um escaravelho de uma brilhante cor verde. Encontra-se em regiões mediterrânicas e em África. Seco e reduzido a pó é conhecido desde a antiguidade no tratamento de diversas doenças. Conta-se que a Imperatriz Lívia, primeira esposa de Nero, divertia-se a deitar pó de Cantárida nos alimentos servidos aos seus familiares masculinos, para lhes despertar os apetites sexuais e assim criar situações comprometedoras.

 

A substancia activa do pó de Cantárida, é um alcalóide chamado cantharidin que tem uma qualidade importante e aplicado em doses controladas, dilata os vasos sanguíneos, causando inchaço (no homem, ereção prolongada) é obtido. Foi considerado afrodisíaco de referência no século XVII, quando, e devido ao número de envenenamentos com consequências fatais, caiu em desuso. Portanto, não é aconselhável para consumir sendo considerado perigoso e altamente tóxico.

 
Alimentos afrodisíacos com provas cientificas

 

Até a data poucas tem sido as provas cientificas da eficácia dos alimentos afrodisíacos, no entanto alguns estudos tem sido feitos neste campo, como é o caso da pesquisa foi realizada por cientistas da Universidade de Guelph, no Canadá, por Massimo Marcone e John Melnyk. Com resultados publicados na revista Food Research International.

 

Segundo estes, “Os afrodisíacos têm sido usados há milhares de anos em todo o mundo, mas a ciência por trás das alegações nunca foi bem compreendida ou claramente documentada,” disse Marcone. “A nossa é a revisão científica mais aprofundada feita até hoje. Nada havia sido feito com este nível de detalhe até agora.”

Eles descobriram que o ginseng panax, o açafrão e a ioimbina, um produto químico natural extraído da árvore ioimbe, nativa da África Ocidental, melhora a função sexual humana.

 

As pessoas também relataram aumento do desejo sexual após a ingestão de muira puama, uma planta com flores encontrada no Brasil; raiz de Maca, uma planta da família da mostarda, encontrada nos Andes, e chocolate. Contudo, apesar de seu suposto efeito afrodisíaco, o chocolate não foi relacionado com maior excitação sexual ou satisfação, segundo o estudo. “Pode ser que algumas pessoas sintam um efeito de determinados ingredientes do chocolate, principalmente a feniletilamina, que pode afetar os níveis de serotonina e endorfina no cérebro”, disse Marcone.

 

Mas para além da capacidade da estimulação orgânica que alguns destes alimentos podem causar existe também o estimulo mental que mesmo não associado aos nutrientes dos alimentos podem despertar desejo e ativar a libido. No ideal romântico, os morangos e chocolate ou com uma taça de champanhe. O despertar sabores e texturas dos alimentos em jogos de preliminares, são também e apesar de não ser comprovada a nível cientifico, alguns dos, benefícios que estes alimentos podem contribuir para um aumento da libido. Pois a mente têm aqui também uma intervenção muito relevante.

 

Afrodisíacos que aumentam a libido


As Ostras são um dos afrodisíacos mais conhecidos. A ingestão de ostras abastece o corpo com dois aminoácidos raros, ácido D-aspártico e N-metil-D-aspartato, que fazem com que o corpo liberte o aumento dos níveis de testosterona em homens e progesterona em mulheres. Ostras precisam ser consumidos crus, a fim de colher seus benefícios.

 

Os Morangos têm sido associados com o amor, o sexo e a sensualidade. Morangos pode efetivamente aumentar o impulso sexual, graças à vitamina C, potássio e zinco, que elas contêm. Comer um morango maduro ou, melhor ainda, um morango coberto de chocolate, é uma maneira de estimular os seus sentidos e sua libido

 

Graças à sua forma fálica, aspargos tem reputação de séculos como um afrodisíaco. Asperge, a palavra francesa para aspargos, é uma gíria para o membro masculino. Espargos é rico em ácido fólico, que é necessário para um sistema reprodutivo feminino saudável. E como o abacate, aspargo é rico em vitamina E, que é um grande potenciador da libido.

 

Amendoim –  Não possui nenhum agente afrodisíaco específico, mas fornece nutrientes que podem melhorar o desempenho sexual de diferentes formas:

  • Melhora a circulação sanguínea: É rico em vitaminas do complexo B e também em um aminoácido chamado arginina, ambas substâncias que melhoram a circulação sanguínea do corpo todo, inclusive dos órgãos sexuais, o que pode favorecer a ereção;

  • Auxilia a produção de hormonas sexuais: O amendoim contém boas doses de vitamina E, um nutriente que está relacionado com a produção de hormonas sexuais, estando assim correlacionado com o aumento da libido.

  • O amendoim contém cerca de 600 calorias em cada 100 g e deve ser consumido com moderação porque pode fazer engordar.

As algas – São boas fontes de Iodo, mineral essencial para o bom funcionamento da tireóide. Algumas mulheres podem apresentar perda de libido devido a um discreto hipotireoidismo, não detectado nos exames de laboratório. fontes de iodo: Peixes marinhos, ostra, mexilhões, mariscos.

 

Abacate –  Não é nenhuma surpresa que o abacate é considerado um afrodisíaco durante milhares de anos, dada a sua forma sensual e textura macia. A palavra asteca para abacate, ahuacatl , significa “testículo”. Na década de 1920, os produtores de abacate dos EUA lançou uma campanha publicitária que tentou convencer as pessoas que o abacate não eram afrodisíacos, mas ninguém estava convencido. No Japão, as pessoas tomam óleo de abacate para melhorar suas propriedades de libido. Abacates são cheios de vitaminas e nutrientes que melhoram a saúde geral do corpo que por sua vez ajuda a aumentar a libido. Eles são especialmente ricos em vitamina E, que é conhecida por sua capacidade de aumentar o desejo sexual

 

Alho – Esse alimento possuem substâncias que ajudam a dilatar os vasos sanguíneos. A boa circulação é importante para o funcionamento dos órgãos sexuais. O alho tem poderes antioxidantes e atuação no bem-estar geral do organismo; pode no entanto, não ser o atributo mais sexy em um amante (a menos que você come, também!), mas verifica-se que a alicina no alho, aumenta o fluxo de sangue no organismo e por, consequentemente, nos órgãos sexuais. Os gregos antigos sabiam sobre as propriedades que aumentam a libido de alho e comia em uma base diária.

 

Chocolate –  Contém o aminoácido triptofano, que aumenta a produção de serotonina (responsável pela sensação de bem-estar). O poder antioxidante que o chocolate amargo oferece, propicia aumento da produção de serotonina e dopamina que regulam o humor;  A pesquisa moderna descobriu que este aminoácido ajuda no processo de excitação sexual. No entanto, os cientistas dizem que os níveis destes produtos químicos são baixos demais para fazer muita diferença em nossas vidas sexuais. Isso não significa que eles descobriram tudo o que há para saber sobre poder de sedução do chocolate.

 

Açafrão ( Tempero ) – Aumenta a libido sexual. Pode tornar as zonas erógenas mais sensíveis. Possui um carácter alcalino e desencadeia a produção de insulina. O açafrão tem ferro, manganésio, potássio, vitamina B3 e B6, vitamina C e vitamina E.

 

Pimenta – Muitas culturas ao longo dos séculos têm considerado a pimenta um estimulante sexual. Pimentas contêm capsaicina, que é geralmente estimulante para o corpo. Ela aumenta a sensibilidade das terminações nervosas e aumenta a frequência cardíaca. Comer pimenta também libera endorfinas no corpo. No entanto em excesso lembre-se que para estômagos sensíveis pode causar o contrário, e vai gerar um efeito totalmente diferente, podendo arruinar a noite.

 

Frutas: Banana – Tem efeito positivo no desempenho sexual uma vez que é rica em Magnésio, que ajuda na circulação promovendo a vasodilatação. Outro factor importante é o facto de ajudar na produção de serotonina, conhecida como a hormona da “felicidade” ou do “bem-estar”. A serotonina, substância que proporciona bem-estar e prazer, depende de alguns nutrientes como a vitamina B6, que está presente na banana. As bananas são também ricas em potássio e vitaminas do complexo B necessárias para a produção de hormonas sexuais; Maçãs, pêras, pêssegos e tâmaras -Ricas em Boro, mineral que eleva os níveis sanguíneos das hormonal sexuais estrógeno e progesterona. Uvas e cerejas são frutas bastante sedutoras, já que podem ser incluídas nas preliminares da relação sexual numa forma de estimular o tato e o paladar. Os gregos e os romanos consideravam os figos afrodisíacos, pois quando partido é sugestivamente erótico, além de estimular o processo digestivo e aliviar o sistema nervoso.

 

Mel puro ou Geléia Real – Dão excepcional apoio ao libido; O mel é rico em vitaminas do complexo B (necessárias para a produção de testosterona) e em boro (que ajuda o corpo a metabolizar e usar o estrogénio). Alguns estudos sugerem que o mel também pode elevar os níveis de testosterona no sangue. Curiosamente a expressão “lua de mel” é conhecida por esse nome porque os casais na antiguidade se preparavam para o casamento tomando mel diariamente, durante o mês que antecedia o enlace para serem mais felizes sexualmente.

 
Vitaminas e minerais benéficos

 

Algumas vitaminas e minerais encontrados nos alimentos tem uma influência no campo da sexualidade e nos quais encontramos: as vitaminas antioxidantes que combatem os radicais livres e ajudam na circulação sanguínea e funções hormonais.

  • Vitamina E (germe de trigo, nozes, carnes, amendoim, óleo, gema de ovo)

  • Vitamina C (limão, laranja, abacaxi, tomate, pimentão)

  • Vitamina A (manteiga, leite, gema de ovo, fígado, espinafre, tomate, mamão, batata, abóbora)

  • Vitaminas do complexo B (equilibram o funcionamento do sistema nervoso)

  • B1 (carne de porco, cereais integrais, nozes, lentilha, soja, gema de ovo)

  • B2 (fígado, rim, levedo de cerveja, espinafre, beringela

  • Zinco é um mineral antioxidante que aumenta a mobilidade dos espermatozóides e garantem a produção do hormona sexual masculina (testosterona). para além de, reforçar o Sistema Imunológio. Encontra se em abundância em carnes, fígado, peixe, ovos, leguminosas, nozes e ostras. O zinco é necessário para mais de 50 reações enzimáticas no organismo, inclusive muitas daquelas necessárias para as funções cerebrais. A  falta de nutrição adequada que contenha zinco suficiente, vitamina E e vitaminas para o sistema nervoso, como as B1, B5, B6 e B12, causará impotência sexual com perda frequente de libido.

    A vitamima E e o Zinco são indispensáveis para a produção do esperma.

Alimentos prejudiciais

 

Carnes e gorduras saturadas - Diminuem as concentrações dos hormonas sexuais masculinas e femininas e, consequentemente, enfraquecem a libido e causam impotência;

 

Consumo excessivo de bebidas alcoólicas - Vinho e outras bebidas alcoólicas podem ajudar a relaxar, mas como o álcool é um depressivo, pode fazer com que a pessoa se sinta depressiva ou se sinta tão relaxada que queira adormecer. O álcool em excesso pode prejudicar o desempenho sexual.

 

Doces - Pode causar um estimulo energético rapidinho, mas em seguida induz a uma profunda sonolência;

 

Bebidas que contenham xantinas - Café, chá mate, chá preto, coca cola, guaraná, reconhecidos estimulantes, que em excesso acabam por  prejudicar.

 

Dicas

 

A dieta sexual para aumento da libido não passa só pelo consumo de alimentos dos quais tem nutrientes que podem beneficiar o desempenho sexual, passa muitas vezes por mudar de estilo de vida, diminuir o stress e experimentar coisas novas que melhorem a qualidade de vida, como a prática de exercício físico. Tanto homens quanto mulheres relatam um aumento no interesse sexual e libido quando estão engajados em exercícios físicos regulares de aumento de massa muscular, pois ocorre um aumento na produção de testosterona. Muitas vezes, a ápice da produção de testosterona culminando com o ápice do aumento da libido podem ser percebidos durante ou depois de um treino. Para muitos casais, se exercitarem juntos pode ser uma experiência estimulante para criar um clima.

 

É também necessária e importante cultivar uma atitude mental positiva, sentir bem e confiante, e o seu parceiro o(a) achará mais sexy e atraente.

 

Viva mais saudável, viva mais feliz….

 

Por Sofia Oliveira - 22 Setembro, 2015 em http://www.nutricaointegrativa.com/dieta-sexual-aumente-o-seu-libido/

Please reload

Nutricionista Esportiva graduada pelo Centro Universitário São Camilo com extensão em Home Care e Neurobiologia da Ingestão de Alimentos, especialista na área de Obesidade e Emagrecimento pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Certificada em Advanced Nutrition Specialist pela IFBB Academy.
Palestrante em diversos eventos e docente do curso técnico do Hospital Israelita Albert Einstein.
Dra. Isabelle Zanoni
Arquivo
Please reload

Tag Cloud